Beleza natural: como fazer uma transição realista

Marcela Rodrigues -

Você começa a repensar sua forma de consumo, a relação com o seu corpo e com a sua auto-estima. De repente – ou talvez, até aos pouquinhos – você se dá conta de que precisa mudar. Por você e pelo mundo em que vive.

Quem passou por esse processo em relação à rotina de auto-cuidado com certeza já sentiu um desejo-surto de fazer a limpa absoluta no nècessaire e colocar tudo-de-uma-vez-agora somente produtos orgânicos, vegano, naturais… Tudo de uma vez – até porque, de fato, o consumo consciente é uma urgência. Não é essa a vontade que dá/deu?

Se não há presença, calma e consciência, em meio às descobertas e entusiasmo podem surgir frustrações e inseguranças. Penso que muitas destas sensações são, ainda, resultado de uma preocupação com o lado de fora (que o que o outro usou, achou, por que deu certo para uma pessoa e não para si…).

A questão é que beleza natural é simples, mas a transição não é simplória, tampouco rápida. É muito mais do que fazer substituições e reproduzir receitas. Pede presença, calma, alma. Poético demais? E é. Mas também é um caminho de realismo com gentileza.

A verdade é que somente você sabe como deverá ser a sua transição – se suave, ou drástica -, quais os desafios terá, a hora de avançar ou mesmo recuar. Mas refletindo sobre cada passo que dei, e dou, na minha jornada de beleza natural – desde quando usei água de arroz e esfoliante ainda criança, depois como jornalista de beleza e hoje entusiasta do slow beauty – listei algumas  e reflexões para fortalecer a sua jornada. Assim, seguimos juntas.  Risque a pressa do seu diário de beauté – logo, logo você vai entender o por que.

Beleza natural pede paciência (Imagem: KwangHo Shin, artista sul-coreano)

Questione suas necessidades e motivações

O que te motivou, pela primeira vez, a repensar a sua rotina de beleza? É apenas uma preocupação com uma questão estética? Algum problema de saúde? Coerência com a alimentação? É muito importante refletir o que tem te levado a esta mudança. Assim você corre menos riscos de sedesanimar no meio do caminho, desistir ou mesmo se frustrar. A beleza natural é um caminho sem volta e uma causa se liga a outra. Se for somente um desses questionamentos que tem te motivado, tente encontrar vantagens nos outros. Esteja consciente de que cada escolha você faz contribui com uma mudança no mundo.

Isso tudo é importante porque muita gente quer te convencer a aderir a este estilo de vida pelo medo. Usar um hidratante normal causa câncer? Não é esta a questão. Vai além… Ou seja, antes de embarcar nesta jornada, leia, pesquise, reflita, questione…depois…leia, pesquise, reflita, questione. Sempre.

O que é o que é

Os produtos de cuidados pessoais podem ser divididos em: orgânico, natural, vegano, cruelty-free e artesanal. É muito importante saber o que define cada um para que você possa fazer uma escolha coerente com o que você busca, precisa e acredita. Expliquei como saber a diferença neste post AQUI.

Tendo informação, crie o hábito de ler os rótulos. Não que você precise decorar tudo o que uma fórmula deve ou não deve ter, mas, com o tempo, vai entender melhor as entrelinhas. Há muito produto por aí se valendo de cores verdes e termos naturais, mas cheio de ingredientes que não são legais.

Comece substituindo os mais nocivos

O que eu troco primeiro? Eu fiz um cruzamento entre o que eu usava diariamente e os que tinham fórmulas mais agressivas para a minha saúde e para o meio ambiente. Logo tirei do nécessaire os desodorantes convencionais, depois os esfoliantes; e as maquiagens (bases, batons…); reduzi o uso de hidratantes e perfumes…

Dasague, mas no seu tempo

Comece excluindo da sua rotina aqueles itens cuja fórmula são mais nocivas e, ao mesmo tempo, você vem fazendo uso em excesso, como desodorantes, shampoos, hidratantes corporais… Você tem itens favoritos e sente muito apego? No começo, ao invés de simplesmente excluí-los da sua rotina, reduza o uso até encontrar um substituto ou simplesmente entender como não precisar mais dele.

Eu sempre amei blush e tive a sorte de logo encontrar uma versão orgânica e biodegradável logo no começo. Mas os batons, ah…meus nudes e vermelhos favoritos ficaram infiltrados no meu nécessaire durante muito tempo – mesmo! Um deles ainda está lá para aqueles dias raros me que a vontade bater e eu me permitir (talvez a transição seja mais longa do que  a gente imagine rs).

Até hoje não encontrei uma máscara de cílios incrível. Resultado: no dia a dia eu prefiro não uso nenhuma e, quanto tenho vontade, alterno uma orgânica com outra convencional. Como defino a estratégia: o que sentir no dia. Já riscou a pressa do caderninho? Agora é a vez do auto-julgamento.

Boa jornada de desconstrução! (Imagem: KwangHo Shin, artista sul-coreano)

Ácidos fazem milagre, ingredientes naturais não

Não adianta usar a máscara facial de antioxidante de abóbora, nem o sérum de rosa-mosqueta, contra manchinhas já ansiosa para enxergar os resultados. “Tem receita para estrias?” – não me canso de ouvir por aí. Gente, fórmulas agressivas, com ácidos e etc, têm efeitos rápidos e, por isso mesmo, tantos outros colaterais. Há de ter paciência. Tem efeito? Claro. Mas de um jeito bem diferente. Por isso indico muito fazer o uso dos cosméticos naturais como um ritual – já explico abaixo…

O que é bom para uma pessoa, pode não ser para a outra

Não é porque você adora usar e ler cosméticos naturais que você vai sair por aí receitando protocolos e misturinhas, viu. Aromaterapia, fórmulas artesanais e etc funcionam justamente porque tem um grande potencial – ou seja, há de se ter cuidados e um olhar muito crítico. Pesquise, leia…experimente, mas pense na SUA pele, no seu corpo…

Experimente antes de comprar

Nos últimos três anos – antes disso, vou te contar, era complicado, viu – nossas prateleiras receberam várias novas marcas conscientes (entre veganas, orgânicas e crielty-free). Já temos muitas opções, mas sabemos que há quem sinta salta de mais opções para tons de base. Há ainda a insegurança: será que a cobertura vai ser boa? Será que vai craquelar? Hoje algumas marcas já oferecem amostras para as consumidoras testarem em casa, é o caso da Baims e da Bioart. Eu não curto muito fazer resenhas porque as fórmulas naturais tem uma adaptação bem diferente de pessoa para pessoa. Dizer que “ah, é ótimo” é um tanto superficial. Testa, pede pra testar!

Faça o que você usa

Alguns itens são perfeitos para serem criados em casa: desodorante, hidratante, séruns, óleos de massagens, máscaras faciais. Adoro receitas fresquinhas, sobretudo as que já postei por aqui.  Neste caso, recomendo que você leia ESTE artigo pelo qual tenho tanto apreço, pois fala dos encantos e cuidados que devemos ter ao criar um cosmético em casa.

Transforme seu momento em ritual

Crie um ambiente aconchegante, esqueça o celular e se presenteie com tempo. Aplique sua máscara facial com carinho, cuide dos cabelos enquanto ouve sua música preferida. Espere a argila secar dançando.

Não julgue o outro

As pessoas entram num universo novo e já trocam a bio do Instagram para #govegan e afins, não é mesmo? A vontade de compartilhar o novo estilo de vida é grabde, eu sei. Mas seja vegano, seja naturaholic, seja eco… Só não seja chato.  Acho tão descessário quem descobre um mundo novo e tenta evangelizar o outro apontando os erros. Costumo dizer (na verdade reproduzi que li um dia): o que a gente sabe hoje, não saia ontem. Com o outro, a mesma coisa.

Boa jornada, seguimos juntas!

Marcela

0 Comentários

O que achou? Conte pra gente!