Dez atitudes simples e naturais para amenizar a acne adulta

Marcela Rodrigues -

No Brasil, 80% das pessoas entre 11 e 30 anos irão sofrer de acne, segundo dados do Ministério da Saúde. Como eu sempre soube que nas mulheres o problema é mais frequente dos 14 aos 17, me sentia uma sortuda do time dos outros 20%. Até completar 29 anos, parar de tomar anticoncepcionais sem acompanhamento médico (no meu caso incluiria outros remédios).

Ali estava euem crise de vaidade por causa de um dos maiores causadores de acne adulta, o desequilíbrio hormonal. O aumento na produção (que também pode ser hormonal) de sebo ou aumento na formação de queratina no folículo piloso, proliferação de bactérias, aumento das substâncias que causam inflamação e uso de cosméticos e maquiagens inadequadas, além da falta de cuidado com a higienização do rosto, estão entre os outros fatores.

(Imagem: Henn Kim, ilustradora sul coreana)

Eu já tinha certeza que as minhas espinhas eram uma consequência da abstinência do corpo sem pílula, pois fazia quatro meses que acabara de interromper o uso delas – normalmente, o ápice da acne acontece de três a seis meses após a interrupção. Mas fui a uma dermatologista e a uma ginecologista para ter certeza, fazer exames e entender o que acontecia no meu organismo.

Me indicaram incluir outros remédios, e uma delas chegou a me dizer que se eu não parasse a pílula, “infelizmente passaria a vida com acne”. Cá estou ei, aqui, com a pele lisinha.

Eu também estava bem consciente de que meu organismo ainda levaria algum tempo para se adaptar e desintoxicar. Então, o primeiro passo foi a aceitação de que esta era uma manifestação do meu corpo e que, sim, iria passar.

Mas uma natureba vaidosa não ficaria de braços cruzados cheia de espinhas na zona T  (área onde a acne adulta a-do-ra se instalar), no pescoço e no colo. E em pleno verão – e o medo de o sol deixar marquinhas?!

Mais paciência, menos improvisos

Apesar de ácidos e remédios agressivos não estarem no meu menu anti-acne, eu andava insegura para usar as receitinhas caseiras de beleza que tanto sou e sempre fui a favor – e anos atrás me motivaram a criar o aN. Motivo: piorar a inflamação e, mais ainda, aumentar o risco de acne. Até porque elas continuariam aparecendo.

Lembrando de todas as reportagens que eu já havia feito nos últimos quase sete anos como jornalista de beleza – dicas de nutrição, novidades de pele, tratamentos, entrevistas…-, me veio um insight: criar um protocolo básico de atitudes que pudessem evitar a piora da acne e também ajudar neste detox natural do meu corpo. >>>Isso não é auto-medicação, é auto-cuidado a partir das pequenas escolhas do dia a dia, viu. Um hábito que devemos ter sempre, mas por vezes damos pouca atenção.

As atitudes simples e naturais para evitar e amenizar espinhas

Abaixo, compartilho pontos importantes durante a minha curta, porém crítica fase com acne adulta – e que muito de vez enquanto aparece para lembrar como nosso corpo é cíclico e usa a pele para manifestar emoções e desequilíbrios. Elas valem para qualquer caso de acne, uma vez que ajudam o corpo a funcionar melhor e equilibrado

1) Ter paciência sim, ignorar não | Não espere o problema se agravar. Ter certeza do que está motivando tal crise me ajudou a definir cada uma dessas atitudes e a não perder tempo com cremes e tratamentos que só aliviariam e trariam mais frustração. Antes de tudo, se possível, vá ao dermatologista ( ou ginecologista, endocrinologista…investigue e faça suas escolhas com consciência).

2) Não esprema, por amor | É o básico, mas não custa lembrar. As unhas guardam sujeiras e podem piorar a proliferação de bactérias, aumentando a inflamação e até causando cicatrizes.

3) Corte açúcar | É um alimento inflamatório, que agrava qualquer tipo de acne. No caso do tipo hormonal, sobremesas, refrigerantes e biscoitos, por exemplo,  ainda mexem os níveis de açúcar no sangue e alteram o fator de crescimento tipo insulina 1 (IGF-1).

4) Lave o rosto, mas nem tanto | Esfregar em excesso pode estimular ainda mais produção das glândulas sebáceas, além de tirar a camada protetora da pele, deixando-a mais suscetível a bactérias.  O ideal é fazer a higienização uma ou duas vezes ao dia, usando um sabonete específico. Eu costumo alternar os artesanais em barra com alguns líquidos de marcas orgânicas.

5) Hidrate | Mesmo a pele oleosa ou acneica precisa ser hidratada. O desafio é escolher o produto certo. Texturas em gel e oil free costumam ser boas para todos os tipos de pele.

6) Reveja seus cosméticos | A acne cosmética é muito comum na fase adulta e pode ocorrer pelo uso contínuo de cosméticos e maquiagens inadequados, que acabam obstruindo os poros. E isso inclui tanto as fórmulas convencionais quanto as naturais. A questão é: é ideal para o seu tipo de pele? É oil free? Observe como a sua pele reage.

7) Receitas caseiras | Eu amo uma formulaçãozinha artesanal – conceito que é um dos pilares do a Naturalíssima – , mas evitei ao máximo nesta fase. “Arriscar soluções improvisadas, como colocar pasta de dentre sobre uma espinha, além de não funcionar, pode aumentar o risco de cicatrizes.” Li o alerta no livro “Guia Prático da Beleza – por dentro e por fora” da dermatologista Juliana Neiva e nunca mais esqueci. É que me queimei assim anos atrás e estava tão insegura que quis ficar só na paciência mesmo.

8) Ah, a aromaterapia |  Desde que estudei o tema, vidrinhos de lavanda e melaleuca estão sempre por perto. Em uma pequena viagem no meio da crise, ela foi uma súper amiga. Eu costumava, com a pele limpa, passar um pouco de um óleo vegetal sobre a espinha (semente de uva, rosa mosqueta, coco…). Com um cotonete, basta aplicar uma gotinha de OE de lavanda no local.

9) Corte ou diminua o leite | Chocolates e gorduras sempre estiveram na mira de especialistas quando o tema é acne. Nos últimos anos, porém, pesquisas têm traçado um mapa na relação entre consumo de leite e derivados e acne. Há estudos que mostram que sim, outros nem tanto. Eu, como já estava diminuindo consumo de alimentos de origem animal, cortei totalmente o leite – que, diga-se de passagem, hoje é nada mais do que uma bebida industrializada, né. Ou seja, mais que cortar leite, se afaste dos industrializados.

10) Quando sentir o peso na auto-estima, se presenteie com um ritual de beleza | Um momento de beleza, tipo day spa mesmo, porém cheio de detalhes que vão cuidar da sua beleza de dentro para fora, elevam o astral e resinificam o olhar para si mesma. Pode ser uma auto-massagem, um banho aromático, uma máscara de argila ao som da sua música preferida. E dance:  dançar move sue mundo interno e desperta a beleza natural.

 

 

0 Comentários

O que achou? Conte pra gente!