Tingimento natural com repolho roxo e casca de cebola. O resultado surpreende

Marcela Rodrigues -
Cascas de cebola e repolho, ambos na cor roxa, encantam os olhos por si só. Mas o resultado da alquimia que acontece quando eles entram em contato com tanino e alúmen é surpreendente: um extrato simples e ecológico que empresta um verde suave a tecidos de algodão.
Vi acontecer essa alquimia de perto quando entrevistei a estilista Flavia Aranha, pioneira em resgatar a técnica no Brasil, no ano passado. É em uma casinha charmosa localizada na Vila Madalena, em São Paulo, que ela coordena a produção quase 100% manual de sua marca homônima, cujo DNA é composto de formas minimalistas e descomplicadas, feitio manual e cores suaves, provenientes de um interessante processo de tingimento sustentável. Flavia, de 32 anos, é uma entusiasta das técnicas artesanais e do movimento slow fashion, que prega uma forma de consumo mais consciente e menos acelerada.
 

Cores da natureza 
Apesar de ter estudado moda em Paris e se formado estilista por uma universidade da capital paulista, suas inspirações vêm das raízes interioranas. “Quando eu era criança, passava férias no Nordeste e ficava encantada com as rendas. Na casa dos parentes do interior paulista, me apaixonei pelas toalhas bordadas. E aprendi a costurar aos 13 anos”, lembra ela, nascida e criada em Campinas. Por isso, apesar de importar alguns elementos, as matérias-primas brasileiras são prioridade. O algodão orgânico, por exemplo, é cultivado, tecido e fiado à mão por comunidades de Minas Gerais, do Nordeste e de Goiás.
Sopa da cores
Nas mais recentes coleções, a acácia negra deu vida a um rosê chique. Já o azul vem do índigo, um pigmento extraído da aneleira. Mas os ingredientes simples tem destaque nas enormes panelas que chamam atenção entre araras, máquinas de costura e manequins de seu ateliê:  chás, cascas de árvores e legumes, flores, tudo pode dar cor.
{Faça você mesma}

Flávia revela o passo a passo de um tingimento simples e acessível, feito com cascas de cebola e repolho roxo.  A proposta é ideal para tingir uma camisa de algodão de 100 gramas. 

A quantidade dos ingredientes varia de acordo com o peso da peça. Por isso é importante pesá-la. Os protagonistas, a cebola e o repolho, ambos na versão roxa, rendem um verde cor de abacate surpreendente. Os outros ingredientes são encontrados facilmente em farmácias.

Em sue ateliê, Flavia ensina como tingir uma camiseta com casca de cebola e repolho! (Foto: Martin Gurfein)

T-shirt de algodão
Ingredientes
• 100% do peso da camisa de casca de cebola roxa
• 50% de repolho roxo
• 8% de tanino (extrato de acácia negra ou chá-preto em pó)
• 8% de alúmen (pedra hume em pó)
• Detergente neutro
• Água
Preparação
1. Ferva a peça com 5 ml de detergente neutro por 40 minutos e depois enxágue.
2. Ferva mais uma panela com água, adicionando o tanino. Mexa e coloque a camisa para ferver por mais 40 minutos. 3. Retire a peça e reserve. Adicione o alúmen e mexa bem. Só depois coloque novamente a peça e deixe ferver por 40 minutos. “O alúmen e o tanino atuam como fixadores e são facilmente encontrados em casas de produtos naturais e farmácias”, explica Flavia.
Extrato

Casca de cebola e repolho – ambos roxos = verde (Foto: a Naturalíssima)

1. Ferva a casca de cebola e o repolho por uma hora em uma panela grande com cerca de 5 litros de água. Coe as folhas e descarte. Ferva a camiseta por mais 40 minutos no líquido. Durante esse tempo, a peça vai ganhando o tom verde que a mistura proporciona.

2. No dia a dia, lave a peça à mão com água e deixe secar sempre à sombra. “Nunca use produtos químicos”, alerta a estilista.
O resultado:

(Design: Patricia Trigo)

* A reportagem foi escrita por mim e publicada originalmente na edição de maio de 2016 da Revista MANEQUIM.
0 Comentários

O que achou? Conte pra gente!