Sabonetes artesanais e naturais: barrinhas curativas da pele e da alma

Marcela Rodrigues -

Um sabonete natural artesanal nunca é só um sabonete. Feito pelas mãos de uma mulher cheia de potencial herbalista ele é pura energia; com fórmula minimalista, que contempla somente o essencial,  é saudável e não polui o meio ambiente após sua espuma escorrer pelo ralo; embalado sem frescura e sem plástico, praticamente não gera lixo.

Por causa do feitio artesanal, o preço é justo e nos dá a chance de colaborar com movimentos tão necessários atualmente, como o empreendedorismo feminino, a beleza natural e o comércio justo  – existem muitas marcas, mas comprar perto de você fortalece o pequeno empreendedor e a economia local. É pura liberdade de consumo.

Para oleosidade intensa e equilíbrio emocional nos meus dias de Lua: ébano (a barra negra), da Ewé Alquimias. Para pele sensível, Calêndula; Lucuri é incrível para regenerar

Normalmente, a fórmula de um sabonete natural e artesanal é minimalista: a base com óleos vegetais, manteigas e óleos essenciais é a mais comum – independente da técnica. Aliás, ele é o tipo de item natural complexo de ser feito em casa – requer algumas normas de segurança, técnicas, muita informação e precisão em cada ingrediente. Mas, claro, intuição é aquele ingrediente que nunca é demais. Por isso acho bem importante conhecer quem cria meus sabonetes naturais.

Por causa da energia manual colocada nele, e também pelos efeitos sutis dos óleos essenciais, eles não carregam somente a função de limpeza, mas podem agir como verdadeiras barrinhas curativas de emoções.

Estas barrinhas foram um dos itens mais importantes na minha rotina de cuidados com a pele quando comecei a transição de uma rotina quase natureba (bem em cima do muro, sabe?) para os cuidados conscientes  – vivo em São Paulo, uma capital bem poluída e ainda tem a maquiagem do dia a dia que, mesmo mínima, por causa do trabalho, não posso fugir da maquiagem – na verdade, nem quero potencializa o acúmulo de resíduos de poluição. Higienizar bem a pele do rosto talvez seja a atitude mais gentil e importante que eu tenha com a minha.

 

Barrinhas da Fefa Pimenta: não basta serem eficientes, ainda são lindas!

espinhas, oleosidade & intensidade de emoções

E eles tiveram  (e ainda têm) um papel muito importante no controle da manifestação de espinhas na minha pele. Faz uns dois anos que, definitivamente, parei com as pílulas anticoncepcionais. A primeira reação veio forte: oleosidade excessiva e erupções na testa, no queixo e no colo (típicas manifestações hormonais).

Sempre escolhi sabonetes com fórmulas cuja combinação pudesse tratar este aspecto – o desequilíbrio hormonal, emocional e qualquer outro em função do vai-e-vem de pílulas e manifestações do desequilíbrio feminino. Hoje, adoro a sinergia de gerânio, palma rosa, laranja-doce… – que ajudam no equilíbrio, na auto-estima e na força.

Essas barras em tamanho mini da Cosméticos Plenitude são ótimas para levar em viagens

sobre as minhas escolhas

Eu gosto muito das fórmulas de três empreendedoras, cujos sabonetes ilustraram esse meu relato. A Mona Soares, de Salvador/BH, é uma herbalista e farmacêutica que me passa uma força ancestral, tão grande que, a primeira vez que recebi um trio de sabonetes da marca dela, a Ewé Alquimias, escolhi sem ler o rótulo. Fui logo pela energia – desde então não largo o Ébano (a barra negra  e linda que ilustra esse post). A química carioca Fefa Pimenta tem uma história linda, de ter mergulhado no universo das fórmulas naturais justamente a procura de uma cura, tem uma variedade imensa de produtos, adora papear e ser amorosa com as clientes de sua marca homônima. E a Cosméticos Plenitude, da jovem Chris, típica empreendedora da Nova Era. Ela trabalhava em agencia de publicidade, começou a flertar com os sabonetes artesanais, não encontrava na cidade dela, fez cursos mil e, encantada, empreendeu com a mãe numa jornada cheia de energia feminina e toques modernos. Adoro a embalagem dela. A todas estas mulheres com mãos de curandeiras da beleza, gratidão por criarem meus amados sabonetes.

Para durar mais: costumo partir as barras maiores em dois ou três pedaços. Assim, elas não ficam derretendo na saboneteira  do banheiro. E, o melhor, multiplico a compra: deixo um pedacinho na pia, outro no nécessaire do trabalho, outro na mochila da academia.

Qualquer sabonete artesanal-natural limpa? Limpa? Mas escolher com esse cuidado faz dele um item multifuncional, como disse acima, curativo da pele e da alma.

 

2 Comentários
  • Valquiría Silva Vinhas Juriti

    Responder

    Boa tarde!

    Sou encantada com os produtos naturais. Tenho muita vontade de fazer o curso com a Mona.

  • Carlos Alberto Preto

    Responder

    fascinante

O que achou? Conte pra gente!