Oito tendências de bem-estar para 2018

Marcela Rodrigues -

Tendências de bem-estar para 2018 – por aNaturalíssima

As tendências de bem-estar, diferentemente do universo da moda, da beleza e até mesmo de outros tipos de consumo (e isso não inclui apenas itens materiais), são fruto, normalmente, de uma necessidade comportamental; quando não raro, nascem de movimentos que já estão “no ar”. Ou  seja, não são impostos a nós pelo sistema, por formadores de opinião e criadores que praticamente comandam a indústria. Em coletivo, movimentados por propósitos e necessidades reais, despertamos para novos desejos, gostos e, procurando por algo que, nem mesmo, às vezes, conseguimos nomear, influenciamos as ofertas de consumo em tantas áreas. São novidades que, na verdade, já estavam em nosso radar intuitivo.

Entre movimentos que já vêm que ganhando força há algum tempo, e também novidades previstas para esse ano, ai está nossa lista de (oito!) tendências para 2018!

#1 Caminhada

Qual exercício físico seria tão zero lixo, acessível financeiramente, leve para todos os biotipos, possível de fazer do interior à cidade grande, se não simplesmente andar? Antes menosprezada  pela maioria e vista como atividade perfeita para a chamada terceira idade, ela tem tudo para ser a queridinha de qualquer fase da vida. Caminhar, como já pontuei, não requer grandes investimentos ou mesmo uma orientação médica. Está nesta simplicidade e versatilidade, aliás, o vantagem que a coloca como uma futura substituta do yoga. Como instrutora e estudante da filosofia, acho impossível um substituir o outro, mas é o que aponta o bureau de tendências WGSN: “À medida que queremos desligar da vida e reconectar com a natureza, as atividades tradicionais ao ar livre vão ganhar atração de luxo. Além disso, é altamente instagramável: influenciadores vão registrar picos em vez de experimentar a última aula de fitness”. Se é assim, que seja caminhada + yoga!

#2 Slow Medicine

Patch Adams — O Amor é Contagioso (1998)

Na medicina, o movimento slow é um grande desafio para os profissionais de saúde. E, se praticado, um acalento para quem está na posição de paciente. É sobre o cuidado além da doença. É sobre olhar para a pessoa. “Por um longo período, a medicina foi se dividindo em partes bem específicas e os médicos foram se especializando. Acredito que enxergar o pedacinho continua sendo importante, mas é fundamental nunca perder o todo”, afirmou o médico José Luiz Dias Siqueira, professor do curso de especialização em dor do Hospital Israelita Albert Einstein, à revista Vida Simples . Para inspirar esperança por esta medicina humanizada, uma boa pedida é o filme  Patch Adams — O Amor é Contagioso, em que o ator Robin Williams representa o médico americano Hunter Doherty, que ficou famoso por uma metodologia na qual o amor tem papel fundamental no processo de cura.

#3 Ametista

( Foto: aNaturalíssima)

Apenas de tê-los por perto – seja na carteira, em um colar ou mesmo no criado-mudo-, os cristais tem o poder de transmutar energias e sentimentos, além de elevar o nosso astral instantaneamente. Misticismos a parte, as drusas de ametista prometem ganhar ainda mais atenção, já que tem o mood que define a cor do ano eleita pela Pantone, a Ultra Violet. É o meu cristal preferido (empate com o quartzo rosa) e só de ver um objeto com a cor já me sinto energizada.

#4 Trips holísticas

O Brasil nunca esteve tão na moda no… Brasil. Mais do que isso, destinos que unem belezas naturais, aventura, autoconhecimento e espiritualidade não estão sendo tão cobiçados à toa. Os passeios que têm status de retiro atraem pessoas de idades e estilo de vida diferente. A maioria une terapias holísticas (outra trend da Nova Era), caso das viagens organizadas pela agência Inovar Tour, fundada há pouco mais de dois anos. Thais Pugliesi, a idealizadora, conta que, em comum, estas pessoas têm um proposito maior do que simplesmente diversão, amam natureza e são abertas a espiritualidade de alguma forma.  Na programação eco sustentável para este ano,  já estão mais de vinte viagens para destinos como Joanópolis (SP), São Bento do Sapucaí (SP), Bragança Paulista (SP), Chapada dos Veadeiros (DF) e Amazônia (AM).

#5 Música com propósito 

Devoção com diversão e diversão com devoção. A música, sem dúvidas, tem a missão de unir o melhor dois mundos e, claro, cabe a quem tem talento, colocar em prática. E músicos da Nova Era não faltam para propagar mensagens de amor por meio de letras que promovem cura enquanto melodias encantadoras dão vontade de dançar, rir, chorar, abraçar, se divertir! É ouvir para o astral ir lá em cima, sabe! É só dar uma olhada na agenda de shows de São Paulo – cito a capital paulista por ser conhecida pelo agito cultural  é onde vivo, mas a música com propósito está por toda parte.  Aqui, meus exemplos: Filipe Stein e Banda(SP), Flaira Ferro (Recife), Nanan, Flávia Wanceslau (Paraíba), Nicole Salmi (SP), Udiyana Bandha, Marina  Peralta (Goiás). E, claro, sem esquecer os músicos clássicos da cena de musica devocional: Chandra Lacombe, Alê de Maria… E um exemplo carnavalesco, o bloco paulistano Franciskryshna, que toca mantras e canções brasileiras (muito Gil, Caetano…) em tom de marchinha!

 

#6 Astrologia

Se ficar sem assunto! Pode falar de signos!

 

Poucos anos atrás, falar de signo era um caminho certo para ser chamado de ingênuo, místico (de maneira pejorativa) ou cafona. Agora, é cool, interessante e curioso! E, não à toa, tem rendido muitos memes por aí! A Astrologia é uma ferramenta de autoconhecimento, de estudos da natureza, do planeta… Como não se encantar e respeitar? O primeiro livro da astróloga Maína Mello fez tanto sucesso que ganhou segunda edição, e fazer míni cursos e workshops nesta área promete virar o novo hobby good vibes do momento! Se for pega sem assunto com alguém, pode apelar para o zodíaco que não vai fazer feio!

 #7 Terapias holísticas

Estamos vivendo uma transição planetária e, claro, isso reverbera na nossa evolução pessoal e espiritual. É uma jornada cheia de flores? Não, necessariamente! Quando lançamentos luz, enxergamos sombras! E não fomos criados para olhar com carinho para elas. Sensações como angústia, perda, introspecção podem ser comuns na jornada. E nem sempre oque estamos acostumados a fazer como terapia não funciona como antes. É que o momento é de olhar para dentro, para depois olhar pra fora. E as terapias holísticas tem este propósito. Eu gosto de reike, de dança, de leitura de aura, de yoga… encontre a sua! Cada uma encanta e cura a sua maneira.

#8 Cultivo do silêncio

O silêncio é caminho para despertar, cura e entendimento. Desperta a intuição, traz autoconhecimento, empatia, calma, aceitação, contentamento, concentração… Silenciar é urgência e, não por acaso, o cultivo dessa prática tem sido procurado no dia a dia. Na programação da sede paulistana do movimento Awaken Love, do guru brasileiro Sri Prem Baba, por exemplo, a  terça-feira é dedicada ao silêncio (às 18 horas – Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1.247). Piracanga, ecovila no Sul da Bahia, também tem um chamado “Retiro do Silêncio”. Há quem queira mergulhos intensos, então vale até investir dez dias em um Vipassana, uma técnica milenar de meditação que significa “ver as coisas como elas realmente são”. Silêncio virou artigo de luxo e, por isso mesmo, raridade. Mas pode ser acessível, pois é uma questão de atitude em qualquer tempo ou lugar.

Em tempo, feliz 2018!

.

 

0 Comentários

O que achou? Conte pra gente!